Fechar Propaganda

O sucesso do cinema em Goioerê

Durante anos o cinema influenciou o ritmo de vida da população Goioerense. Por trás de cada sessão havia um cerimonial completo, que abrangia desde a escolha da roupa, a brilhantina, a passagem pela bilheteria.

Atualizado em 25/03/2017 17:59:52

Como não havia muitas opções, o cinema monopolizou as atenções, no entanto, as pessoas se lembram do prazer que era ir ao cinema, independente da qualidade do filme a que se ia assistir. A majestosa tela, o som impecável, as filas para comprar os ingressos, o vendedor de pipoca, o bate-papo antes das sessões, o lanterninha, a resenha do trailer sobre os filmes da semana....Ah! a primeira namorada(o)! Muitos ainda guardam o sabor daquele beijo, afinal quem daquelas décadas de 60, 70 e até mesmo de 80 nunca namorou ou paquerou no cinema?
O primeiro cinema de Goioerê surgiu depois de meados da década de 50, a avenida Francisco Scarpari abrigou o Cine Florense, onde hoje está localizado a loja Pop 90, com o passar do tempo o cinema fechou e um incêndio destruiu as instalações.
Em 1962 chegou em Goioerê o Padre Luigi Depaoli onde realizou vários obras em nossa cidade, dentre elas no final da década o Cine teatro Goioerê (EDIFICIO João XXIII), popularmente conhecido como cinema do Padre, localizado na avenida Daniel Portela, esquina com a rua José Marques.
O cinema do padre marcou época, sendo naqueles tempos o único espaço para a cultura de Goioerê e região, havia aos domingos à tarde o show de calouros, onde muitos talentos da cidade e outros municípios vinham se apresentar, aqui no cinema do padre a dupla Milionário e José Rico se apresentou, a dupla não tinha ainda nenhuma expressão no cenário nacional, nesse mesmo palco em 1975 pisou o mito Raul Seixas e muitos outros.
Quase na mesma época o senhor José Domingos de Almeida (Dominguinho), comprou uma área de 1.050 metros quadrados de terras, localizado na avenida. Francisco Scarpari, esquina com a rua Carlos Gomes, construindo um prédio de 700 metros, instalando o Cine São Domingos, que se constituiu em um dos melhores do Paraná, contando com 900 lugares, cujas poltrona eram luxuosas para época. Quem trabalhou por muito tempo no cine como projetor foi o senhor Francisco Costa (Chiquinho).
Nesta época a cidade contava com dois cinemas. Depois do fechamento do cinema do Padre, o cine São Domingos continuou com o show de calouros e apresentando os melhores lançamentos cinematográficos.
Na década de 60 0 campeão de bilheteria foi o filme “O dólar furado” de Giuliano Gemma, os filmes de Mazzaropi também faziam muito sucesso. Nas décadas posteriores vieram La Bamba, Dirty Dancing e muitos outros.
Infelizmente desde a década de 90 Goioerê não conta mais com cinema, onde os aparelhos de DVDS tomaram conta das casas e a manutenção dos cinemas em pequenos centros ficou mais difícil.
Hoje é comum em cidades grandes a ida ao cinema, onde a maioria deles está localizado em Shopping. Fica aqui registrado para gerações vindouras a presença do cinema em nossa cidade e a importância cultural que teve ao longo dos tempos.
Essa frase que a maioria dos pioneiros dizem, faz jus
VELHOS TEMPOS, GRANDES DIAS !!!!!

JUNIOR CORREIA PAZ

Veja as Imagens da Notícia

A história do cinema em Goioerê


Você também pode querer ver estas notícias!

Lista de aprovados no processo para contratação de agente de combate a dengue

Gestantes aprendem a confeccionar o próprio enxoval

Pedro Coelho mantém importantes contatos em Brasília

Escola municipal ensinando valores do cooperativismo a seus alunos

Fechar (X)